• Instagram - Black Circle
  • SoundCloud - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Google+ - Black Circle

 

          “Vai lá ver a Marcinha cantar”. Quem faz o convite é ninguém menos que um dos maiores nomes da Bossa Nova, Roberto Menescal, autor de clássicos como O Barquinho, Você e Telefone, entre outros. E quem atende ao nobre convite, não se arrepende. No palco, “Marcinha”, ou melhor, Márcia Tauil, traz uma interpretação singular ao que canta e, ainda, aposta em composições próprias.

          Oriunda de Guaxupé (MG), Márcia vem de uma família de músicos e iniciou sua carreira ainda na adolescência, no grupo de baile Opus Band, do irmão Ivan Tauil. Em plena década de 1980, o repertório ia do forró de Elba Ramalho até o romantismo de Whitney Houston. “Com o surgimento do axé, os grupos de baile passaram por um momento de transição; então, resolvi seguir carreira própria e quis gravar o meu primeiro CD”, conta a artista, que já trabalhou como locutora de rádio e apresentadora de TV.

          No dia de seu aniversário, 2 de dezembro, em 1988,chegou em São Paulo de mala, cuia e “gogó”, pronta para ganhar um público para lá de exigente. Seu objetivo era conseguir uma oportunidade num conceituado espaço gastronômico e cultural, o Villaggio Café. Coincidentemente, naquela data ocorreria um show em homenagem ao compositor José Carlos Costa Netto, dono da Dabliú Discos, com a presença de nomes como Vânia Bastos, Vicente Barreto, Roberto Menescal e Eduardo Gudin. Foi nesta ocasião que Márcia entregou ao compositor uma fita de videocassete com uma amostra de seu trabalho musical.

          No ano seguinte, Tauil subiu ao palco do Villaggio e convidou Costa Netto para assisti-la. Em 1999, lançou, pela Dabliú Discos, o CD Águas da Cidade, com uma seleção de canções que mais marcaram sua trajetória. “Foi a primeira vez que a família de Álvaro Carrilo permitiu a uma cantora gravar uma versão de Sabor a Mi”, relembra.

          Em junho de 2003, a convite de Eduardo Gudin e Costa Netto, Márcia gravou seu segundo álbum, Sementes no Vento, que traz as principais músicas de ambos os compositores, entre elas, Verde e Paulista. O disco foi lançado no Japão, numa parceria entre a Ward Records e a Dabliú Discos. O show de lançamento, contudo, foi realizado no teatro do SESC Vila Mariana, em São Paulo, com a participação de Paulinho Nogueira e Paulo César Pinheiro.

          A cantora também realizava shows constantes pelo interior de São Paulo e Minas Gerais, muitos deles com a presença de Roberto Menescal como convidado especial. Logo, Márcia passou a dividir o palco com o Mestre Menesca, como muitos amigos gostam de chamá-lo, entoando as canções mais icônicas do prestigiado músico.

          Numa época em que “muita gente boa pôs o pé na profissão”, sua voz continuou a encantar plateias e os críticos mais exigentes. Em 2007, a música Canção na Estrada, composta por ela e Mana Tessari, foi premiada na categoria Regional, do Festival Viola de Todos os Cantos, promovido pela Rede Globo de Televisão. Em 2009 veio o bicampeonato com a canção Colheita, outra parceria com Mana Tessari.

 

          Em 2012, produziu, participou como compositora parceira de Roberto Menescal, e gravou com Sandra Duailibe, Cely Curado e Nathália Lima o álbum Elas Cantam Menescal. O disco traz 10 faixas compostas por Roberto Menescal, quatro delas feitas especialmente para o projeto. Já em 2013, o blog Mais Cultura Brasileira considerou a cantora como uma das cinco melhores vozes entre as artistas brasileiras. Naquele mesmo ano, a cidade de Mococa, no interior de São Paulo, criou o Troféu Márcia Tauil, com o objetivo de descobrir novos intérpretes.

          Em 2015 e 2016, a amizade e parceria com o maestro e pianista Cristovão Bastos, transformou-se no show Todo Sentimento, que volta aos palcos em 2017.

          No ano de 2016, Tauil fez participação especial no disco de caráter beneficente Música Verde, juntamente com outros feras da MPB, como Maurício Maestro, Zé Renato, Francis Hime, Jane Duboc, Milton Guedes, entre outros.

          Em janeiro de 2019, Márcia lançou o álbum o Música do bem - Reginaldo Mil e parceiros a voz de Márcia Tauil, produzido por Reginaldo Mil, com participação de nomes como Jotabê, Zé Caradípia, Roberto Menescal, entre outros.

     

      Também em 2019, a parceria com Melissa Mundim, fez nascer o álbum Melhor Agora, com participações de artistas que fazem parte da atual cena musical mineira, como Raquel Coutinho, Carla Gomes, Amanda Prates, Kiko Klaus, entre outros.

          Outro álbum que promete ter boa repercussão é o "Pro Menesca", com arranjos e violão sete cordas de Felix Junior, com participação de Menescal na guitarra, em canção inédita, com previsão de lançamento em 2020.

              Em outubro de 2019, Márcia recebe o Prêmio Grão de Música, por sua carreira e trajetória, ao lado de nomes como Marlui Miranda e Rolando Boldrin.

 

 

Márcia Tauil por Jornalistas e Críticos

          “A interpretação de Márcia Tauil tem certa graça inocente de interior combinada à objetividade urbana. Uma bela estréia”. (M.D) Mauro Dias - Estado de São Paulo - Caderno 2  São Paulo

          "Faço questão de homenagear as cantoras que influenciaram no meu modo de cantar" reconhece Márcia Tauil. É justo, muito justo. Ao menos até que venha o tempo em que seja ela própria a influenciar colegas que estejam chegando...” Donizetti Costa - Diário Popular - Revista - São Paulo

 

          “Uma grata surpresa, muito maior dos que as costumeiras, até! Márcia Tauil está aí: uma nova e boa cantora brasileira, pronta para ser consumida como gente grande. Sem exagero, se dissessem que é uma cantora brasileira que fez carreira no exterior, seria bem plausível. Daquelas que na França ou sei lá onde, é sucesso retumbante. Sua voz para antes do grito, do exagero. Sopra as notas sem pressa”. Julinho Bittencourt – A Tribuna de Santos – Galeria.

 

          “Os agudinhos que invariavelmente acabam virando típicos das vozes femininas ganham outros contornos na voz de Márcia Tauil”. Maria Claudia Miguel – Correio Popular – Campinas – SP.

 

          “Cantora de voz segura! Poucas chegam a tanto. Confiram!” Mario Martinez – Jornal A Tribuna Impressa – Araraquara – SP.

          De seu segundo CD ‘Sementes no Vento” (a parceria de Gudin e Costa Netto), lançado em 2003, disse Nelson Motta:

 

          “Eduardo Gudin é um dos grandes nomes da geração de fabulosos compositores da chamada vanguarda paulistana, como Arrigo Barnabé, Itamar Assumpção e Luiz Tatit, que promoveram uma grande renovação na música brasileira na virada dos anos 80. Agora, a nova cantora Márcia Tauil, ótima, gravou um disco só com músicas do Gudin em parceria com o letrista José Carlos Costa Netto. MPB clássica, de ótimo nível, com lindos arranjos e interpretações elegantes”. Revista Contigo, coluna Sintonia Fina, 9 de fevereiro. 

          Também sobre o segundo cd, um dos irmãos Godoy, escreve:

"Voz suave e de postura invejável, Márcia Tauil acrescenta muito em suavidade e elegâncias às canções de Gudin e Costa Netto. ... sem esquecer o maior sucesso da dupla "Verde", mais conhecida na voz de Leila Pinheiro, mas que agora, parece estar mais inteira nesta versão apresentada no Disco. Importante disco, que traz uma grande voz, de uma bela intérprete: Márcia Tauil”. Ilton Godoy - Jornal das Gravadoras.

          Em outubro de 2003, Márcia recebeu diploma de reconhecimento dos órgãos: Ministério da Cultura, Funarte e Un-Habitat (Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos), por sua participação no Cd "Rios do Rio". No CD, o Ministro Gilberto Gil escreve:"... O Ministério da Cultura se sente honrado em participar desta iniciativa das Nações Unidas e apresenta com satisfação o trabalho destes artistas..."

          Em 2013, Márcia Tauil esteve entre as cinco melhores vozes da Música atual Brasileira pelo Blog Mais Cultura e em 2011 foi citada pelo Site Clube do Choro de Santos, ao lado de nomes como Marisa Monte e Roberta Sá. 

          "Hoje em dia, Monica Salmaso, Roberta Sá, Marisa Monte, Márcia Tauil e Verônica Ferriani formam o “quinteto de ouro” das cantoras desta chamada nova geração, com todo o respeito e sem nenhum demérito às demais." Clube do Choro - Santos - SP.

 

          “A música brasileira, talvez, nunca tenha vivido um momento com tantas boas cantoras surgindo como o atual. Uma das cantoras que chama a minha atenção é a mineira Márcia Tauil, ou simplesmente Márcia. Com sonoridade moderna, voz afável, letras interessantes e músicas de alta qualidade para qualquer horário do dia, Márcia cercou-se de muita gente boa e se apresenta como uma das maiores cantoras de todos os tempos. Com uma voz sensível e agradável, sem precisar apelar para truques vocais desnecessários, Márcia Tauil acerta o tom como cantora e ainda mostra ser uma compositora de mão cheia. O jeito de cantar e o estilo econômico na dimensão necessária de compor, coloca desde já Márcia como uma das melhores novidades artísticas.” Blog Mais Cultura Brasileira - por Marcelo Teixeira.

Agradecimento: Luciana Amaral (Jornalista)

MÁrcia

Tauil

MÁrcia

Tauil