• Instagram - Black Circle
  • SoundCloud - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Google+ - Black Circle

TODO SENTIMENTO

 

Em 2012, a cidade do Distrito Federal, Guará, comemorava seu aniversário com vários shows. Em um deles, cantavam Miúcha e Márcia Tauil.  Foi o primeiro encontro de Márcia com Cristovão Bastos, que compartilhava com elas, o palco do evento.

Nesse encontro, o entrosamento entre músico e cantora foi instantâneo e Márcia pode contar ao Maestro que seu primeiro show profissional na década 90, tinha como carro chefe a canção TODO SENTIMENTO, uma parceria dele, Cristovão  Bastos, com Chico Buarque e que também dava nome ao show.

 

Em 2015, o Clube da Bossa de Brasília uniu-os novamente em um show acontecido em junho, no Teatro do SESC do Setor Comercial Sul.  Durante o show, as canções TODO SENTIMENTO, SUAVE VENENO (Cristovão Bastos e Aldir Blanc), EU TE AMO (Tom Jobim e Chico Buarque) e  A HISTÓRIA DE LILY BRAUN (Edu Lobo e Chico Buarque) ficaram a cargo dos dois.

 

Confirmou-se nesse momento, a empatia entre os artistas e a vontade de estarem juntos em um show pensado para a voz da cantora e a sensibilidade do músico.

Certamente que o nome escolhido remeteu-se ao início de carreira de Márcia, e o show TODO SENTIMENTO está agora carregado das canções que permearam a vida e os ouvidos desses dois artistas representativos de diferentes gerações da Música Brasileira, unidos pelo amor à Música, à arte e à sensibilidade.

Os dois interpretam canções de autoria de Cristovão, como Todo Sentimento (composta com Chico Buarque) e Resposta ao Tempo (composta com Aldir Blanc), entre outras. O pianista também apresenta canções soladas, e em especial, o seu arranjo para Carinhoso (Pixinguinha).

 

Em 2015, para show especial na Casa da Cultura Brasília, Márcia e Cristovão convidam a soprano Janette Dornellas, que prontamente aceitou e seu uniu à dupla, dando novo conceito para o show:

A possibilidade da união e até mesmo intercessão entre popular e lírico. E maior ainda, a difusão de cultura musical entre diferentes públicos. Desde aí, Márcia Tauil  e Cristovão Bastos compartilham o palco com Janette Dornellas, que presenteia a todos com canções como Quem Sabe, de Carlos Gomes, Canto Triste de Edu Lobo e Vinícius de Moraes, Água e Vinho de Egberto Gismonti e Geraldo Carneiro, e a antológica Ne Me Quitte Pas, de Jacques Brel, além de outros clássicos que passeiam entre o popular e o erudito.

TODO SENTIMENTO 

 

Em 2012, a cidade do Distrito Federal, Guará, comemorava seu aniversário com vários shows. Em um deles, cantavam Miúcha e Márcia Tauil.  Foi o primeiro encontro de Márcia com Cristovão Bastos, que compartilhava com elas, o palco do evento.

Nesse encontro, o entrosamento entre músico e cantora foi instantâneo e Márcia pode contar ao Maestro que seu primeiro show profissional na década 90, tinha como carro chefe a canção TODO SENTIMENTO, uma parceria dele, Cristovão Bastos, com Chico Buarque e que também dava nome ao show.

 

Em 2015, o Clube da Bossa de Brasília uniu-os novamente em um show acontecido em junho, no Teatro do SESC do Setor Comercial Sul.  Durante o show, as canções TODO SENTIMENTO, SUAVE VENENO (Cristovão Bastos e Aldir Blanc), EU TE AMO (Tom Jobim e Chico Buarque) e  A HISTÓRIA DE LILY BRAUN (Edu Lobo e Chico Buarque) ficaram a cargo dos dois.

 

Confirmou-se nesse momento, a empatia entre os artistas e a vontade de estarem juntos em um show pensado para a voz da cantora e a sensibilidade do músico. 

Certamente que o nome escolhido remeteu-se ao início de carreira de Márcia, e o show TODO SENTIMENTO está agora carregado das canções que permearam a vida e os ouvidos desses dois artistas representativos de diferentes gerações da Música Brasileira, unidos pelo amor à Música, à arte e à sensibilidade. 

Os dois interpretam canções de autoria de Cristovão, como Todo Sentimento (composta com Chico Buarque) e Resposta ao Tempo (composta com Aldir Blanc), entre outras. O pianista também apresenta canções soladas, e em especial, o seu arranjo para Carinhoso (Pixinguinha).

 

Em 2015, para show especial na Casa da Cultura Brasília, Márcia e Cristovão convidam a soprano Janette Dornellas, que prontamente aceitou e seu uniu à dupla, dando novo conceito para o show:

A possibilidade da união e até mesmo intercessão entre popular e lírico. E maior ainda, a difusão de cultura musical entre diferentes públicos. Desde aí, Márcia Tauil  e Cristovão Bastos compartilham o palco com Janette Dornellas, que presenteia a todos com canções como Quem Sabe, de Carlos Gomes, Canto Triste de Edu Lobo e Vinícius de Moraes, Água e Vinho de Egberto Gismonti e Geraldo Carneiro, e a antológica Ne Me Quitte Pas, de Jacques Brel, além de outros clássicos que passeiam entre o popular e o erudito.

MÁrcia

Tauil

MÁrcia

Tauil